A HISTÓRIA NUA E CRUA

Detalhes únicos sobre o sangrento conflito armado entre a população cabocla e os representantes do poder estadual e federal brasileiro.

A miscigenação de povos – índios xoklengs da região do planalto norte catarinense e o homem branco revolucionário do sul do país – acabou gerando o circunspecto “Caboclo do Contestado”.

Um homem apegado às origens e a terra onde nasceram e cresceram seus pais, seus avós, seus antepassados. Um homem que nunca precisou de um pedaço de papel legitimado para comprovar a posse de sua terra.

Um homem de pouca prosa e muito amor. A necessidade premente, desde o governo imperial, era fazer a ligação entre São Paulo e o sul revolucionário, que a cada instante deflagrava nova conflagração tendente ao separativismo.

A modernidade indicava a ferrovia como melhor opção de ligação entre o sul e a corte. Contrataram-se os serviços do empreendedor americano Percival Farquhar para a execução da obra. Como pagamento, seria feita a dação das terras “desabitadas” que acompanhavam os trilhos em paralelas na extensão de 15 km de cada lado da ferrovia!

E começaram as expulsões das pessoas que habitavam aquelas terras devolutas da União…  E chegou a vez de Zorico Tamanqueiro, um Caboclo do Contestado, ser banido de sua propriedade…

HISTÓRIA

SUSPENSE

AÇÃO

DRAMA

LOJA
VIRTUAL

Este é o canal de vendas do Contestado, objetivando a venda de livros e outros produtos, relacionados a época. Confira Abaixo.

Pedro Penteado Prado.

PEDRO PENTEADO

Pedro Penteado autor de cinco livros já publicados e presidente da Academia de letras do Brasil em Canoinhas, agora com seu sexto livro: “Contestado: que o povo fique com a história”.

O livro conta a história de um caboclo que se torna um herói do Contestado. Penteado coloca dentro do nosso eu um auspicioso néctar contando uma história como nós também gostaríamos que tivesse acontecido.